Descrição de algumas espécies
Escreva subtítulo aqui

Petrel gigante
Petrel gigante

Petrel-gigante (Macronectes giganteus).
Espécie grande com envergadura de 1,95 metros. Enquanto jovens a plumagem é marrom-escura. Quando adultos possuem a parte inferior cinza escuro, as asas de um tom mais claro e a plumagem da cabeça se torna branca. Outra característica evidente é o bico grande de cor amarela com um tubo nasal muito comprido.

Tangarazinho
Tangarazinho

Tangarazinho (Ilicura militaris)
Endêmico do Brasil, ocorre na Mata Atlântica desde o sul da Bahia até o sul de Santa Catarina, adentrando ainda nos limites do cerrado no centro de Goiás.
Foto feita na pousada OIKOS do amigo e parceiroJosiel Briet em São Luiz do Paraitinga. - em São Luiz do Paraitinga

Caburé acanelado
Caburé acanelado

Corujas são muito variadas quanto ao tamanho e coloração, porém, possuem uma característica em comum: conseguem girar a cabeça 270º. Isso se deve ao fato delas possuírem 14 vértebras, ao invés das habituais sete encontradas em aves "normais". Estas vértebras adicionais fornecem uma amplitude de movimento fantástica. Outros animais sofrem lesões traumáticas e interrupção do fluxo sanguíneo ao girar excessivamente o pescoço. Porém, cientistas descobriram que as corujas possuem um sistema circulatório especial que alimenta o cérebro e os olhos quando o movimento da cabeça corta a circulação. Além disso, seus vasos sanguíneos possuem uma espessura maior em locais específicos para que não se rompam durante movimentos bruscos.

Corucão
Corucão

O Corucão (Chordeiles nacunda) chegam a medir até 29,5 cm de comprimento e 71 cm de envergadura, possuindo ainda uma plumagem marrom-escura com branco na garganta, ventre e asas. A barriga branca fica escondida, contra o solo e as costas acinzentadas confundem-se com o ambiente. Mesmo a garganta branca é pouco visível na ave pousada. Ao levantar voo, surpreende pelo tamanho e envergadura. Em voo, o branco da ponta das asas e da cauda (no macho), chamam a atenção.

Gavião real
Gavião real

gavião-real (Harpia harpyja)
É uma águia enorme, a mais poderosa do planeta! Mede entre 90 e 105 centímetros de comprimento e apresenta uma envergadura de mais de 200 centímetros. Ambos os sexos são semelhantes, mas a fêmea é bem maior. Seu peso varia entre 4 e 4,8 quilogramas para o indivíduo do sexo masculino e entre 7,6 e 9 quilogramas para indivíduos do sexo feminino. - em Patrocinio-MG.

Pacas
Pacas

Paca (Agouti paca) ...
A paca é o segundo maior roedor do mundo, perdendo em tamanho apenas para a capivara. É maior que a cutia e tem pernas mais longas. Seu peso varia de 6 a 12 kg e mede até 76 cm de comprimento.
A paca vive nas florestas tropicais, de preferência em tocas próximas a riachos ou áreas alagadas. É boa nadadora e gosta da água, onde se refugia quando se sente em perigo. Sua toca, geralmente um túnel reto de cerca de 2m, tem muitas saídas de emergência, bem escondidas por folhas. As pacas são de vida solitária e pequena interação acontece entre indivíduos. 

Coruja de crista
Coruja de crista

Coruja-de-crista (Lophostrix cristata) encontrada desde o Sul da América do Norte até o norte do Brasil. Quando filhotes, têm a plumagem vasta e branca, que vai ficando marrom conforme se aproxima da vida adulta. 

Ela possui um "V" na face, que é eriçada quando o animal é perturbado. É um animal de hábitos noturnos, se alimenta de insetos e pequenos vertebrados e geralmente vivem em casal.

Tico-tico rei
Tico-tico rei

Apesar da beleza, o tico-tico-rei não é uma ave que costuma chamar muita atenção, principalmente por causa de seu comportamento discreto e solitário. O macho só exibe completamente seu belo topete quando está excitado ou ao cantar.

Vive em bordas de matas secundárias, cerrados, campos, cafezais e pomares, geralmente em locais sombreados, capoeiras ralas e baixas.

Vivem solitários a maior parte do ano, eventualmente juntando-se a bandos mistos de espécies granívoras, mas na época da reprodução formam casais.

Pica-pau-chorão
Pica-pau-chorão

Pica-pau-chorão (Veniliornis mixtus)

Vive em matas de galeria, cerrado e cerradões, campos sujos e capoeiras ralas e em matas secas. Encontrado solitário ou aos pares; trepa em galhos e troncos pouco grossos das tortuosas árvores de cascas rugosas, chamando pouco a atenção. É parcialmente migratório em certos locais. - em Serra da Canastra - MG.

Tamanduá Bandeira
Tamanduá Bandeira

.Tamanduá-Bandeira (Myrmecophaga tridactyla).

O Tamanduá-Bandeira é um mamífero nativo da América. Ele recebe esse nome uma vez que sua cauda tem forma de uma bandeira.O Tamanduá-Bandeira se alimenta principalmente de pequenos insetos, por exemplo, formigas, cupins, larvas, centopeias, vermes.
Chega a comer cerca de 35 mil insetos por dia, sendo muito conhecido por comer formigas. Por esse motivo em alguns locais é chamado de "papa-formiga".